terça-feira, 2 de agosto de 2011

Roubado à descarada

Da Lua Escondida*. Um texto que podia muito bem ser meu, caso eu tivesse esta capacidade de pôr os pensamentos em palavras.


O amor é um lixo muito grande.

...mas chega o dia em que nos fartamos e desistimos. O dia em que percebemos que estamos cheios do não e do não sei. O dia em que o nosso coração não pode partir mais. O dia em que tudo o que está acumuldao bate em nós como uma nuvem de poeira e nos faz chorar por tudo que tivemos e pelo nada que temos. O dia em que deixamos de ouvir música lamechas - aquela música lamechas - porque não vale a pena nem valem as lágrimas. O dia em que nos faz perceber que há mais pessoas no mundo.  O dia em que já não vale o esforço, já nada compensa esse esforço. O dia em que o sorriso custa a sair e custa ainda mais perceber e explicar porquê. O dia em que nos cansamos de estar sempre em segundo plano. O dia em que já não explicamos nada porque não dá, porque ninguém nos vai perceber. O dia em que nos lembramos de O esquecer. O dia em que percebemos que Ele não arrisca porque não gosta. O dia em que ousamos pôr-nos em primeiro lugar. O dia em que não deixamos mais que nos quebrem. Talvez hoje seja esse dia.

4 comentários:

Catarina disse...

O texto é realmente bonito e bem verdadeiro (:

Ju disse...

Adoro! É tão verdadeiro! :o

Lua Escondida* disse...

:')
estás à vontade de roubar! e acredita que um dia chega o dia que já não dói nada. É preciso tempo :)

um beijinho*

Lu! disse...

É esse o espírito ;)