sexta-feira, 28 de janeiro de 2011

Doar medula óssea

Todos os dias ouvimos notícias de pessoas que necessitam de um transplante de medula óssea. Dia após dia existem pessoas a morrer por não existirem dadores compatíveis registados.

Agoram perguntam-me vocês porque é que me lembrei deste assunto hoje. Porque soube que existe uma colega minha que foi diagnosticada há pouco tempo com leucemia, que está numa situação complicada e que precisa urgentemente de um transplante de medula. Não sei quem é, posso já ter falado horas com ela, posso já ter brindado com ela, ou apenas trocado um sorriso ou um bom dia. Mas afinal o que é que isso interessa? Absolutamente nada, porque é uma vida que está em causa. São no fundo dezenas, centenas de vidas que estão em causa e que todos juntos podemos salvar. Não pensamos já todos o quão maravilhoso seria salvar uma vida, vestir a capa do super-homem e ir por aí combater os bandidos?
Na realidade não precisamos de capa de super-homem, nem da varinha do Harry Potter. Podemos salvar uma vida com uma simples picada no braço.

E sim, shame on me que estou para aqui com este paleio todo e ainda não estou insccrita. Já estive várias vezes para ir, mas foi sempre sido adiado, como diz a música: "agora não que é hora do almoço, agora não que é hora do jantar, agora não que eu acho que não posso e amanha vou trabalhar!". Mas desta semana não passa. Não pela minha colega, mas porque posso ajudar alguém, seja aqui seja na China.

Passem a mensagem, divulguem nos vossos blogues, nos comentários, facebooks, twitter....

Porque hoje é alguém que eu conheço, amanhã pode ser um conhecido vosso!

Mais informações aqui, aqui,e as condições e o formulário que terá de ser preenchido aqui.

4 comentários:

Catarina disse...

Divulgarei! (:

Catarina A disse...

Por acaso já estive montes de vezes para me inscrever como dadora, e estou sempre a adiar.
Tenho de ver se é desta que lá vou!

Jessica disse...

Já está em divulgação :)

Cinderela disse...

Acho que a divulgação nunca é de mais. Eu estou inscrita desde 2008 (o que agora não deve servir de muito, dado que por questões de saúde deixei de ser uma dadora viável).